Descubra a mágica do relaxamento capilar e arrase no look!

relaxamento capilar

Apesar do movimento em prol do cabelo natural, muitas mulheres ainda não se sentem confortáveis com os fios volumosos e buscam alternativas para domá-los. Um dos métodos mais utilizados para isso é o relaxamento capilar, um procedimento químico que reduz o volume e deixa os cachos mais soltos.

Você já pensou em apostar nessa técnica? Neste guia, tiramos todas as suas dúvidas sobre o assunto e explicamos como é feito o procedimento, quais cuidados precisam ser adotados e quais as diferenças entre relaxamento e alisamento. Ficou curiosa? Então, continue a leitura!

Relaxamento capilar? O que é isso?

O relaxamento capilar é um procedimento químico muito popular que altera a estrutura dos fios permanentemente, deixando o cabelo menos volumoso e mais maleável.

Em cabelos cacheados e crespos, a química age deixando os cachos mais soltos e definidos, diminuindo o volume dos fios, o que resulta em mais movimento. Apesar de o relaxamento não prometer um alisamento 100%, o uso contínuo desse tipo de química pode deixar os fios lisos. 

Como funciona o relaxamento?

O procedimento é feito por meio da aplicação de um produto nos fios, que pode ser à base de tioglicolato de amônia, hidróxido de sódio ou guanidina. Após a aplicação, é necessário aguardar o tempo de pausa informado pelo fabricante, enxaguar os fios e neutralizá-los.

Não é necessário termoativar o produto com escova ou chapinha ao finalizar o processo, isso porque ele atua por ação química. No entanto, é importante respeitar as medidas de segurança do produto e fazer a aplicação sempre com um profissional, para evitar danos aos fios e feridas no couro cabeludo.

Quais são as vantagens e desvantagens do procedimento?

Apostar nesse tipo de procedimento é uma excelente solução para quem deseja reduzir o volume dos fios e deixá-los mais definidos e livre de frizz, sem alisá-los completamente. Além de abrir os cachos e deixá-los mais brilhantes, o relaxamento capilar também proporciona maior praticidade no dia a dia, deixando as ondas mais domadas e fáceis de arrumar.

A principal desvantagem da química é que ela pode ser agressiva, portanto, não deve ser utilizada quando o cabelo estiver ressecado e quebrando, pois pode deixá-los ainda mais fragilizados. Os cuidados com os cabelos e as reconstruções também precisam ser intensificados após o procedimento para garantir a saúde dos fios.

Outro ponto de atenção é a compatibilidade do relaxamento com outras químicas, por exemplo, as descolorações. Alguns tipos de relaxamento podem ser associados com outras químicas, desde que respeitado o tempo de intervalo. No entanto, o relaxamento com guanidina não permite interações químicas com outros tipos de tratamentos.

Alisamento ou relaxamento? Quais as diferenças?

Alisamento e relaxamento são sim procedimentos diferentes. O alisamento é uma técnica que transforma completamente a estrutura do fio, deixando o cabelo liso e chapado. Já o relaxamento ajuda a diminuir o volume e dá definição aos cachos indisciplinados.

Os dois processos são semelhantes e realizados com a mesma base de substâncias, entretanto, o que define o resultado desejado é o tempo de aplicação. Quanto mais tempo os ativos ficarem nos cabelos, mais lisos eles ficarão.

Alguns produtos utilizados para relaxamento não são os mais indicados para alisamentos, isso porque os alisamentos normalmente têm um pH entre 10.5 e 11.9. Já alguns tipos de relaxamento são mais fracos, para não alterar totalmente a estrutura dos fios, e contam com pH entre 9.5 e 10.4. Isso significa que alguns tipos de produtos para relaxamento, mesmo sendo aplicados por maior tempo, não conseguem alisar totalmente um cabelo originalmente crespo.

Outra diferença entre os procedimentos é a necessidade de retoques. Quem fez relaxamento capilar começa a apresentar diferença entre a raiz e o comprimento a partir de dois meses. Já os fios que receberam o alisamento podem estender o período de retoque em até seis meses.

Quem pode fazer o relaxamento dos fios?

O relaxamento capilar é indicado, principalmente, para pessoas com fios ondulados, cacheados e crespos que desejam reduzir o volume e abrir os cachos, tornando-os mais disciplinados. O procedimento, no entanto, também pode ser uma boa opção para quem tem cabelos lisos muito volumosos e deseja controlar as madeixas.

Outra indicação é nos casos nos quais a pessoa está voltando aos cachos e parando de utilizar alisamentos. Dessa forma, por ficar menos tempo nos fios, a química ajuda a disfarçar a diferença entre a raiz e as pontas, remodelando sem alisar completamente.

Quais são as contraindicações?

Assim como em outros casos de procedimentos químicos, o relaxamento não é indicado para grávidas e lactantes, pois pode causar reações alérgicas e intoxicações, prejudicando a gestação e o bebê.

Além disso, a química também não é indicada para pessoas que têm cabelos descoloridos, pintados ou com outros tipos de químicas. Isso porque o relaxamento pode apresentar incompatibilidade e há grandes chances de ocorrer um corte químico e queda capilar.

Quais produtos utilizar para o relaxamento capilar ideal?

Depois que você decidiu que quer fazer o relaxamento, é a hora de escolher qual produto será utilizado. Não existe um produto melhor ou pior, todos eles atuam da mesma forma, no entanto, a escolha vai depender da estrutura do seu fio e do resultado que você deseja alcançar. Na hora da escolha, a avaliação e o diagnóstico de um profissional são fundamentais.

Hidróxido de guanidina

ITALLIAN INNOVATOR BASE RELAXANTE FORTE
COMPRE AQUI

A guanidina é uma evolução do hidróxido de cálcio e é indicada por ter uma ação mais lenta e uma menor tendência de causar irritações no couro cabeludo. No relaxamento, a guanidina atua quebrando a cadeia interna do fio, formando uma nova. O produto pode ser utilizado por todos os tipos de cabelo e apresenta bons resultados em crespos e volumosos, no entanto, é bastante forte e pode causar danos às fibras capilares.

Hidróxido de sódio

ITALLIAN INNOVATOR BASE RELAXANTE SODIUM
COMPRE AGORA

É indicado para todos os tipos de cabelo, porém, apresenta melhores resultados em madeixas crespas e crespíssimas e em fios mais grossos e resistentes, devido a sua ação rápida e intensa.

Conta com maior poder de alisamento e propriedade lipídicas em sua formulação, que evita o ressecamento dos fios. Deve ser aplicado apenas por profissionais, pois pode queimar o couro cabeludo e não é compatível com amônia e seus derivados, portanto, não deve ser utilizado em cabelos com descoloração e sais metálicos.

Tioglicolato de amônia

ITALLIAN INNOVATOR CREME DE RELAXAMENTE STRAIGHT HAIR
COMPRE AQUI

Incompatível com os hidróxidos, o tioglicolato é indicado para quem deseja um relaxamento leve, com cachos mais abertos, apenas para tornar os fios mais maleáveis, sem reduzir tanto o volume. Esse ativo é menos agressivo que os anteriores, pois não altera tanto a estrutura capilar e é menos irritante, no entanto, se for empregado de modo incorreto e sem a neutralização adequada, pode causar danos aos fios e à pele.

Outros produtos necessários para a transformação

Além da base do relaxamento, outros produtos são necessários para realizar o processo, por exemplo, um neutralizante capilar específico para cada tipo de procedimento. No caso dos hidróxidos, é preciso aplicar um shampoo com pH ácido para neutralizar a ação da química. Já o tioglicolato deve ser neutralizado com uma loção.

Além disso, para manter os fios saudáveis, mesmo após a química, é preciso intensificar os cuidados, mantendo um bom cronograma capilar e aplicando um creme para pentear na finalização, assim, você impede o ressecamento e a quebra.

O que pode e o que não pode na hora de fazer o relaxamento do cabelo?

Na hora da aplicação do produto é preciso seguir alguns cuidados importantes para evitar problemas. Um dos principais, tanto em casa quanto no salão, é realizar um teste de mecha e sensibilidade. Para isso, aplique o produto em uma pequena mecha dos fios e verifique se é possível atingir o resultado desejado e se os fios estão fortes o suficiente para a química.

Já o teste de sensibilidade serve para verificar possíveis reações alérgicas e deve ser feito em uma parte da pele, como nos antebraços ou atrás da orelha. A aplicação deve ser feita somente depois de concluir esses testes, com o cabelo sujo e desembaraçado e é importante proteger o couro cabeludo com uma pomada específica para esse fim.

Lembre-se de realizar o procedimento em um local claro, arejado e com clima fresco, isso porque a temperatura pode alterar a ação do produto. O profissional deve utilizar luvas e fazer a aplicação com um pente.

Como manter o relaxamento? 7 dicas de manutenção

O efeito do relaxamento capilar nos fios pode durar de três a quatro meses, dependendo do tipo de produto e da sua rotina de cuidados. A seguir, listamos algumas dicas para que você consiga fazer o efeito durar mais tempo e aumentar o intervalo entre as manutenções.

1. Proteja os fios antes da química

Existem alguns produtos no mercado com altas concentrações de óleos e aminoácidos, que promovem um verdadeiro tratamento de choque e devem ser utilizados antes da química para proteção dos fios. Esses mesmos produtos também podem ser aplicados após o procedimento para a recuperação imediata das madeixas, mantendo o brilho e restaurando os danos e porosidades causados pela química.

2. Lave o cabelo a cada dois dias

Outra forma de conservar o relaxamento por mais tempo é evitar lavar os fios diariamente. A dica é fazer a higienização dia sim, dia não, com água em temperatura de morna a fria. Para evitar o ressecamento das madeixas, você também pode utilizar um pré-shampoo antes da lavagem.

3. Hidrate os fios periodicamente

O fio relaxado tem maior tendência ao ressecamento, por isso, é importante investir em bastante hidratação dos cabelos. Aplique uma máscara de hidratação, pelo menos, uma vez por semana e sempre utilize um creme para pentear ou leave-in para manter a retenção de água ao longo do dia.

4. Não esqueça da reconstrução

Outra etapa do cronograma capilar que vai precisar de mais atenção é a reconstrução. Isso porque grande parte das ligações proteicas da fibra capilar são quebradas durante o relaxamento, deixando os fios mais finos e fracos. Para recuperar esses danos, é importante investir em bons repositores de massa e reconstrutores capilares.

5. Cuide bem das pontas

As pontas do nosso cabelo são a parte que mais sofre depois de químicas agressivas, por isso, é fundamental ter mais atenção e cuidado com essa área. Apostar em um bom reparador de pontas e realizar umectações com óleos vegetais é uma forma de criar uma película protetora, evitando que a umidade evapore e mantendo as pontinhas mais saudáveis.

6. Corte as pontas periodicamente

Outra forma de manter suas pontas saudáveis após a química é cortando as pontas. Não é preciso fazer um corte de cabelo super elaborado, apenas tirar 1cm de tempos em tempos já fará uma grande diferença, deixando os fios mais fortes e alinhados.

7. Tenha cuidado ao escovar e prender

O cabelo relaxando tende a ser mais fino e frágil e quebrar com facilidade, por isso, é importante que você tenha mais cuidado ao manipulá-lo. Na hora de desembaraçar, utilize um pente largo e comece pelas pontas com delicadeza. Para prender, prefira elásticos de tecido e evite a manipulação excessiva.

Como um profissional capilar pode ajudar?

Apesar de ser possível comprar produtos de relaxamento capilar e realizar o procedimento em casa, é sempre recomendado que você procure um profissional qualificado para realizar esse tipo de química. O cabeleireiro é a pessoa mais indicada para escolher o tipo certo de produto e realizar o processo com danos mínimos. Além disso, ele está mais acostumado com químicas e poderá dizer para você se existe alguma incompatibilidade ou risco de corte químico.

Contudo, atenção, é importante buscar um profissional de confiança, com boas recomendações e certificar-se de que ele seguiu corretamente todas as instruções de uso do produto, além de realizar os testes de mecha e sensibilidade.

O relaxamento capilar é um excelente tratamento para quem quer reduzir o volume e deixar os cabelos crespos e cacheados mais maleáveis, sem precisar abrir mão da curvatura. No entanto, é importante contar com um profissional qualificado para o procedimento e tomar todos os cuidados para não danificar os fios excessivamente.

Gostou do post? Descubra também o que é o botox capilar e como fazê-lo em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *