Qual a diferença entre nutrição, hidratação e reconstrução no cronograma capilar?

cronograma capilar

Você já ouviu falar em cronograma capilar? Primeiramente, é importante saber que essa técnica consiste em uma rotina de cuidados em três etapas: hidratação, nutrição e reconstrução. Cada um dos estágios é responsável por devolver aos fios um tipo específico de nutriente que foi perdido.

Inserir o cronograma em sua rotina de cuidados não é uma tarefa difícil. Porém, para conquistar bons resultados, é fundamental entender as diferenças e particularidades dos procedimentos. Por isso, para ajudar você nessa tarefa, explicamos neste post tudo o que você precisa saber sobre cada um deles. Confira!

Etapa de Hidratação do Cronograma Capilar

A hidratação é a etapa mais conhecida do cronograma capilar, mas isso não significa que ela é a única necessária. Dessa forma, é feita nessa etapa a reposição da água perdida naturalmente com a exposição ao vento, ar condicionado, sol e outros agentes externos.

Quando as madeixas estão carentes de hidratação, elas ficam com uma aparência ressecada, com excesso de frizz e sem vida. Assim, esse processo devolve a umidade que deixará os cabelos macios, maleáveis e brilhantes, fazendo com que se forme uma película que evita a perda de água.

Entre os ativos mais encontrados nas máscaras hidratantes, estão:

  • aloe vera (babosa);
  • mel e açúcares;
  • pantenol;
  • glicerina;
  • extratos vegetais;
  • silicones;
  • vitaminas.

Essa etapa pode ser realizada de duas a três vezes por semana, isso porque, ela não pesa nos fios.

Etapa de Nutrição

A nutrição é a responsável pela reposição dos lipídios, ou seja, gorduras e óleos. Ela é importante para manter os cabelos alinhados e saudáveis, trazer brilho, diminuir as pontas duplas e selar a hidratação.

Assim, quando os fios estão precisando ser nutridos, eles apresentam uma maior aspereza ao toque, além de ficarem com mais frizz e opacidade. Os ativos mais utilizados nas máscaras com essa função são:

  • óleos vegetais, como os de argan, oliva, linhaça, semente de uva, amêndoas, coco e macadâmia;
  • manteigas vegetais, como as de abacate, cupuaçu e karité;
  • ceramidas;
  • tutano vegetal ou animal.

Essa é a segunda etapa mais realizada durante o cronograma capilar. Ela pode ser aplicada de uma a duas vezes por semana, dependendo da necessidade do seu fio.

Etapa de Reconstrução

A reconstrução é a etapa que repõe massa, ou seja, as proteínas e os aminoácidos. Ela é mais necessária nos cabelos que sofreram com processos químicos, como descolorações, alisamentos e permanentes, contudo, deve ser utilizada em todos os tipos de cabelos.

Diferentemente das outras máscaras citadas, a reconstrução não deixa os fios maleáveis e macios, em vez disso, eles ficam mais encorpados, fortes e protegidos. Uma vez que existe o risco de o cabelo ficar rígido e pesado, tal procedimento não deve ser realizado em excesso.

Sua carência pode ser notada quando o cabelo está quebradiço, fino, poroso, elástico ou emborrachado. Além disso, a reconstrução deve ser feita sempre após os processos químicos.

Os componentes mais encontrados nesse tipo de máscara são:

  • queratina;
  • creatina;
  • colágeno;
  • arginina;
  • proteínas hidrolisadas;
  • aminoácidos.

Essa etapa tem uma menor frequência no cronograma. Em madeixas virgens, ela pode ser aplicada apenas uma ou duas vezes ao mês. Por outro lado, nos fios quimicamente tratados, é melhor aumentar a regularidade para três ou quatro vezes por mês. 

Em conclusão, seguir um cronograma capilar é a forma mais adequada de suprir as necessidades do seu cabelo, deixando-o mais saudável e bonito. Para começar, o ideal é escolher três máscaras de tratamento, uma para cada etapa, e conhecer as particulares dos seus fios, assim, você conseguirá entender quais estágios são mais importantes.

Gostou do post? Então aproveite e confira também o nosso artigo sobre os cuidados básicos para uma rotina de beleza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *